31 dezembro, 2013

Ditto #267

Life is not a race, but a journey to be savored each step of the way.


Caprichos #277

25 dezembro, 2013

Palavras lidas #235

Fighting churning waters, sailing as close to the wind as he dared, Elcano finally drove his ship around the Cape of Good Hope. Pigafetta wrote, with evident relief, "Finally, by God's help, we doubled that cape... at a distance of five leagues." It was only a guess, for the cape lay shrouded in fog and mist, an invisible, menacing presence now falling behind. They had survived one more ordeal, and that was enough to give thanks to a merciful Lord.

By now it was May 22, 1522, the winds had abated, and Victoria was at last able to proceed on a northerly course. Elcano led the weather beaten ship and her worn-out crew into what is now called Saldanha Bay, just north of Cape Town, where the men rested. There is no record that they thought of themselves as heroic for having outlasted the storms surrounding the Cape of Good Hope; there was no longer any boldness or swagger about them. They had suffered too much for that; the sea had not killed them, but it had humbled them, and they were simply grateful to be alive. Nothing else mattered in comparison with that singular fact.

Lawrence Bergreen, Over The Edge of the World, pp. 384-5.

Lutando contra águas agitadas, navegando tão ao sabor do vento quanto ousava, Elcano levou por fim o seu navio a passar o Cabo da Boa Esperança. Pigafetta escreve, com evidente alívio: "Finalmente, com a ajuda de Deus, dobrámos aquele cabo... a uma distância de cinco léguas." Era apenas uma conjectura, pois o cabo estava envolto em nevoeiro e neblina, numa presença invisível e ameaçadora que agora ficava para trás. Tinham sobrevivido a mais uma provação e era o suficiente para darem graças a um Senhor misericordioso.

Nesta altura estava-se a 22 de maio de 1522, os ventos tinham diminuido e o Victoria conseguiu por fim prosseguir rumo a norte. Elcano conduziu o navio moído pelo tempo e a sua tripulação esgotada até ao que hoje se chama Baía de Saldanha, mesmo a norte da Cidade do Cabo, onde os homens descansaram. Não existe qualquer registo que indique que se consideravam heróicos por terem ultrapassado as tormentas que rodeavam o Cabo da Boa Esperança; já não havia neles qualquer intrepidez ou bravata. Tinham sofrido de mais para isso; o mar não os matara, mas tornara-os humildes e estavam simplesmente gratos por estarem vivos. Nada mais contava por comparação com esse facto singular.

Lawrence Bergreen, Para além do fim do Mundo, pp. 379-80.

24 dezembro, 2013

Coisas que não mudam #247

Swatch's Soft Sky

Coisas que não mudam #246

 Christmas desserts /  Sobremesas de Natal

Numa sala perto de mim #249

Mandela: Long Walk to Freedom (2013) shows Mandela's path to South Africa's presidency in 1994. To keep focus in the objective and mental sanity in the midst of all adversities... remarkable!

23 dezembro, 2013

21 dezembro, 2013

Caprichos #276

Cucina per amici

Pormenores #102

Ao sol é que se está bem!

20 dezembro, 2013

Coisas que não mudam #245

Pelas montras (originais) da Baixa ontem à tarde
Boas Festas!

18 dezembro, 2013

Parece que estou a ouvir #157

Julie Andrews

What will this day be like? I wonder...
What will my future be? I wonder...

It could be so exciting 
To be out in the world, to be free
My heart should be wildly rejoicing
Oh, what's the matter with me?

I've always longed for adventure
To do the things I've never dared
Now here I'm facing adventure
Then why am I so scared

A captain with seven children
What's so fearsome about that?

Oh, I must stop these doubts all these worries
If I don't I just know I'll turn back
I must dream of the things I am seeking
I am seeking the courage I lack

The courage to serve them with reliance
Face my mistakes without defiance
Show them I'm worthy
And while I show them, I'll show me

So, let them bring on all their problems
I'll do better than my best
I have confidence they'll put me to the test
But I'll make them see I have confidence in me

Somehow I will impress them
I will be firm but kind
And all those children (Heaven bless them!)
They will look up to me and mind me 

With each step I am more certain
Everything will turn out fine
I have confidence the world can all be mine
They'll have to agree I have confidence in me

I have confidence in sunshine
I have confidence in rain
I have confidence that spring will come again
Besides which you see I have confidence in me

Strength doesn't lie in numbers
Strength doesn't lie in wealth
Strength lies in nights of peaceful slumbers
When you wake up -- Wake Up!

It tells me, all I trust I lead my heart to
All I trust becomes my own
I have confidence in confidence alone

(Oh help!)

I have confidence in confidence alone
Besides which you see 
I have confidence in me!

14 dezembro, 2013

Numa sala perto de mim #248

La Grande Bellezza (2013) shows plenty of lives full of nothingness. Those which aren't, are simply plain. Not thinking about it is a gift. I left the theatre thinking of Bernardo Soares's disquiet.

A Grande Beleza (2013) mostra muitas vidas vazias. Aquelas que não o são, são pouco interessantes. Não pensar sobre elas é um dom. Saí do cinema a pensar no desassossego de Bernardo Soares.

13 dezembro, 2013

Parece que estou a ouvir #156

Both Sides of the Story
Phil Collins

Find yourself in the gutter in a lonely part of town
where death waits in the darkness with a weapon to cut some stranger down
sleeping with an empty bottle, he's a sad and an empty hearted man
all he needs is a job, and a little respect, so he can get out while he can

We always need to hear both sides of the story

A neighbourhood peace is shattered it's the middle of the night
young faces hide in the shadows, while they watch their mother and father fight
he says she's been unfaithful, she says her love for him has gone
and the brother shrugs to his sister and says "looks like it's just us from now on"

We always need to hear both sides of the story

And the lights are all on, the world is watching now
people looking for truth, we must not fail them now
be sure, before we close our eyes
don't walk away from here
'til you hear both sides

Here we are all gathered in what seems to be the centre of the storm
neighbours once friendly now stand each side of the line that has been drawn
they've been fighting here for years, but now there's killing on the streets
while small coffins are lined up sadly, now united in defeat

We always need to hear both sides of the story

And the lights are all on, the world is watching now
people looking for truth, we must not fail them now
be sure, before we close our eyes
don't walk away from here
'til you see both sides

White man turns the corner, finds himself within a different world
ghetto kid grabs his shoulder, throws him up against the wall
he says "would you respect me if I didn't have this gun
'cos without it, I don't get it, and that's why I carry one"

We always need to hear both sides of the story

Had to smile earlier when I was able to distinguish in the restaurant's background music the following passage: he said "would you respect me if I didn't have this gun 'cos without it, I don't get it, and that's why I carry one". Quickly did the math and guessed the song should be about twenty years old... indeed that is the case!

Coisas que não mudam #244

Holiday traditions. Today, Friday the 13th, at Vanderbilt!

12 dezembro, 2013

Coisas que não mudam #243

Árvores de Natal em praças
Largo do Senado, Macau

11 dezembro, 2013

Ditto #266

Imagine a world in which every single person on the planet has free access to the sum of all human knowledge.
—Jimmy Wales, Founder of Wikipedia
A good reason to give! Here you can see some of the contributors and learn a little bit about how it works.

08 dezembro, 2013

Inverno #13

Pink is NOT cool on weather maps! / 
/ O cor-de-rosa NÃO é bonito em mapas meteorológicos!
Today it was cold and there was not much overall precipitation, but it looks like overnight things will be different. When I got home the car parked next to mine was in this sorrow state. It must have travelled under icy conditions for a while. Let's hope tomorrow morning the whole parking lot is not looking like this!
Hoje esteve bastante frio e a precipitação não foi nada por aí além, mas parece que durante a noite a coisa vai mudar. Quando cheguei a casa o carro do lado estava neste estado. Deve ter viajado durante bastante tempo sob chuva gelada. Esperemos que amanhã de manhã não esteja todo o parque de estacionamento assim!

07 dezembro, 2013

Parece que estou a ouvir #155

The Black Hole
Rachel Goodrich

where did all the time go 
when nobody was looking
well I went behind their back and
took it all

where did all the time go 
when nobody was looking
well I went behind their backs and 
took it all

where did all the stars go
when everyone was sleeping
well I went behind their backs and 
took it all

where did all the world go 
while everyone was spinning 
well I went into a trance and I 
took em all

not too long ago
everything was fine
but now we're in the black hole
now we're so divine 

where did all my things go
floating up in space
I went and turned my back and
took it away, took it away

where did all the love go 
while everyone was dreaming
bout the way it should've been
well, now we're ok

not too long ago
everything was fine
but now we're in the black hole
now we're so divine


Is is just me or this song sounds like it could be in an Apple commercial?

Pormenores #101

Little ice drops

Palavras lidas #234

Today in the Philippines, the tragic encounter between Magellan and Lapu Lapu is seen from a radically different perspective. Magellan is not regarded as a courageous explorer; instead, he is portrayed as an invader and a murderer. And Lapu Lapu has been romanticized beyond recognition. By far the most impressive sight in Mactan harbor today is a giant statue of Lapu Lapu, his bamboo spear at the ready, as he gazes protectively over the Pacific. There is no other record of Lapu Lapu or his reign; were it not for his battle with Magellan, his name would be lost to history.

Within the harbor, a white obelisk commemorates de ferocious battle between the Europeans and the Filipinos, and it offers two sharply varying accounts of the events. One face presents the European point of view: "Here on 27th April 1521 the great Portuguese navigator Hernando de Magallanes in the service of the King of Spain, was slain by native Filipinos." The other portrays the conflict from the Filipino perspective: "Here on this spot the great chieftain Lapu Lapu repelled an attack by Ferdinand Magelland, killing him and sending his forces away." This version is naturally more popular in the Philippines...

Lawrence Bergreen, Over the Edge of the World, pp. 286-7

Hoje nas Filipinas, o trágico encontro entre Magalhães e Lapu Lapu é visto de forma radicalmente diferente. Magalhães não é considerado um explorador
 corajoso, mas antes um invasor assassino. A figura de Lapu Lapu foi idealizada para lá dos limites reconhecíveis. Hoje, o elemento de longe mais impressionante no porto de Mactan é a gigante estátua de Lapu Lapu, com a sua lança de bambú em riste, olhando protectoramente o pacífico. Não existe qualquer outro registo de Lapu Lapu ou do seu reino; não fora a batalha contra Magahães e o seu nome ter-se-ía perdido na história.

No porto, um obelisco branco celebra a feroz batalha entre Europeus e Filipinos e contém duas perspectivas distintas do evento histórico. Numa das faces lê-se o ponto de vista Europeu: "Aqui, no dia 27 de Abril de 1521, o grande navegador português Fernão de Magalhães ao serviço do rei de Espanha, foi morto por nativos filipinos". Noutra das faces a perspectiva Filipina: "Neste lugar o grande chefe Lapu Lapu reprimiu o ataque de Fernão de Magalhães, matando-o e repelindo os seus homens." Esta versão é, naturalmente, mais popular nas Filipinas...

Retirado do contexto #169

Today in Bombay

06 dezembro, 2013

Caprichos #275

The highlight of a rainy day / O ponto alto num dia de chuva

Ditto #265

For to be free is not merely to cast off one's chains, but to live in a way that respects and enhances the freedom of others.

--Nelson Mandela (18 Jul. 1918 - 5 Dec. 2013)

Foi neste dia #223 (1913)

Inaugurava-se há cem anos o teatro Politeama nas Portas de Santo Antão em Lisboa.

05 dezembro, 2013

Foi neste dia #222 (1496)

Há 517 anos o rei D. Manuel I promulgou o édito de expulsão (ou conversão forçada) dos judeus de Portugal, válido a partir de Outubro do ano seguinte. 

Esta foi a condição imposta pelos reis de Espanha (Fernando de Aragão e Isabel de Castela, que tinham emitido um édito semelhante em Espanha quatro anos antes) para a realização do casamento da sua filha, a princesa Isabel das Astúrias, com D. Manuel. Ora em 1490 esta Isabel tinha casado com o princípe Afonso, herdeiro de D. João II, que viria a falecer inesperadamente num acidente hípico em 1491. A jovem viúva partiu triste para Espanha com intenção de não mais se casar e entrar para um convento. Seus pais ignoraram estes desejos e em 1497 casaram-na com o tio do falecido Afonso, Manuel I pelo que, desta vez Isabel tornou-se mesmo rainha de Portugal. Ainda em 1497 Isabel tornou-se também herdeira legítima do trono espanhol por morte do seu irmão João que não deixou descendência. Os melhores sonhos de Manuel concretizavam-se visto que os descendentes dele e de Isabel poderiam no futuro unir as coroas de todos os reinos da Península Ibérica. Isabel viria a falecer em 1498 por complicações no parto de Miguel da Paz e dois anos mais tarde os planos de união ibérica ficariam adiados com a morte deste mesmo infante. 

Intrigas reais à parte, há 517 anos a vida dos judeus Portugueses complicou-se substancialmente!

Happy Hanukkah!

04 dezembro, 2013

Espantos #383

Weather in Tennessee never ceases to amaze / 
/ O tempo no Tennessee nunca deixa de espantar
 Thermal amplitudes of 40F in 48h! / Amplitudes térmicas de 22C em 48h!

Cores de Outono #24

It's called FALL for a reason

Foi neste dia #221 (1711)

Bárbara de Bragança, nasceu há 302 anos em Lisboa. Bárbara foi a primeira filha do rei D. João V e de sua mulher Maria Ana, arquiduquesa da Áustria. Os pais de Bárbara casaram em 1708 e em quase três anos não houve herdeiro pelo que o rei prometeu que construiria um enorme convento se um herdeiro nascesse. Bárbara nasceu neste dia em 1711 e o convento fez-se.

Saramago conta a história bem melhor no Memorial do Convento e até põe Bárbara a pensar no convento (que nunca terá visto), dentro de um coche a caminho de Espanha, onde viria a casar com o futuro rei D. Fernando VI em 1729.

"De Montemor a Évora não vão faltar trabalhos. Voltou a chover, tornaram os atoleiros, partiram-se eixos, rachavam-se como gravetos os raios das rodas. A tarde caía rapidamente, o ar arrefecia, e a princesa D. Maria Bárbara, que enfim adormecera, auxiliada pelo torpor emoliente dos caramelos com que aconchegara o estômago e por quinhentos passos de estrada sem buracos, acordou com um grande arrepio, como se um dedo gelado lhe tivesse tocado na testa, e, virando os olhos ensonados para os campos crepusculares, viu parado um pardo ajuntamento de homens, alinhados na beira do caminho e atados uns aos outros por cordas, seriam talvez uns quinze. 

Afirmou-se melhor a princesa, não era sonho nem delírio, e turbou-se de tão lastimoso espectáculo de grilhetas, em véspera das suas bodas, quando tudo devia ser ledice e regozijo, já não chegava o péssimo tempo que faz, esta chuva, este frio, teriam feito bem melhor se me casassem na primavera. Cavalgava à estribeira um oficial a quem D. Maria Bárbara ordenou que mandasse saber que homens eram aqueles e o que tinham feito, que crimes, e se iam para o Limoeiro ou para a África. Foi o oficial em pessoa, talvez por muito amar esta infanta, já sabemos que feia, já sabemos que bexigosa, e daí, e vai levada para Espanha, para longe, do seu puro e desesperado amor, querer um plebeu a uma princesa, que loucura, foi e voltou, não a loucura, ele, e disse, Saiba vossa alteza que aqueles homens vão trabalhar para Mafra, nas obras do convento real, são do termo de Évora, gente de ofício, E vão atados porquê, Porque não vão de vontade, se os soltam fogem, Ah. Recostou-se a princesa nas almofadas, pensativa, enquanto o oficial repetia e gravava em seu coração as doces palavras trocadas, há de ser velho, caduco e reformado, e ainda se recordará do mavioso diálogo, como estará ela agora, passados todos estes anos. 

A princesa já não pensa nos homens que viu na estrada. Agora mesmo se lembrou de que, afinal, nunca foi a Mafra, que estranha coisa, constrói-se um convento porque nasceu Maria Bárbara, cumpre-se o voto porque Maria Bárbara nasceu, e Maria Bárbara não viu, não sabe, não tocou com o dedinho rechonchudo a primeira pedra, nem a segunda, não serviu com as suas mãos o caldo dos pedreiros, não aliviou com bálsamo as dores que Sete-Sóis sente no coto do braço quando retira o gancho, não enxugou as lágrimas da mulher que teve o seu homem esmagado, e agora vai Maria Bárbara para Espanha, o convento é para si como um sonho sonhado, uma névoa impalpável, não pode sequer representá-lo na imaginação, se a outra lembrança não serviria a memória."

02 dezembro, 2013

Retirado do contexto #168

Stylish coffee, a monster, and square roots... keeping a friend company.

01 dezembro, 2013

Caprichos #274

Today I discovered the best burger in town... at another brunch!